O processo de doação de plaquetas por aférese

A plaqueta é um dos componentes do sangue fundamental no processo de coagulação. A diminuição na quantidade de plaquetas (ou alteração em sua função) pode predispor a sangramentos. A transfusão de concentrado de plaquetas é uma das formas de minimizar o risco de hemorragia, muito freqüente em pacientes portadores de tumor em tratamento com quimioterapia, naqueles submetidos a transplantes ou com falência de medula óssea.

A Doação de Plaquetas é diferente da Doação de Sangue: Retira-se o sangue, separam-se as plaquetas e, então, devolvem-se os outros componentes do sangue ao doador. Tudo isso de forma concomitante, estéril e segura.

O sangue é retirado do doador, separado nos seus componentes e as plaquetas são coletadas e armazenadas numa bolsa do circuito descartável e estéril acoplado ao equipamento de aférese (automatizado). Os outros componentes sanguíneos são devolvidos ao doador. A duração média da coleta é de cerca de 90 minutos.

A doação de plaquetas por aférese oferece a vantagem de coletar de um único doador, um componente com número de plaquetas suficiente para transfusão em um adulto. Numa doação de sangue convencional, seriam necessários aproximadamente seis doadores para obter o mesmo número de plaquetas.

O concentrado de plaquetas coletado pode ser mantido em estoque, no máximo, por cinco dias.

Esse é um dos fatores que contribuem para a necessidade constante de doação de plaquetas, principalmente por aférese.

Gerenciar cookies

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia nossa política de privacidade.